17/01/2020

apenas uma pergunta

Via: pinterest
Quem escavou o abismo que nos separou? Quem amarrou os nós até que estes ficassem cegos? Qual foi o exato momento em que as coisas começaram a ser diferentes? E por que não conseguimos mais ser, um para o outro, como fomos um dia? Ou pelo menos, nos reinventar?

Estou cansada destas perguntas que invadem minha cabeça de maneira repetitiva. Obsessiva. De tal forma, que não nos levam a lugar algum, além da beira de uma loucura. Estou cansada, mais ainda, da nossa falta de perdão. Pois, no final das contas eu preciso mesmo de você, e sei que você de mim. Somos melhores assim, atando as nossas mãos.

Podemos então, por favor, buscar uma solução? Só queria que nos fizéssemos as perguntas certas. Ou apenas uma: podemos começar de novo em algum lugar que só nós conhecemos?


P.s: lembrei tanto dessa música agora.

14/01/2020

Resgate aquela menina

Ilustração por Kathrin Honesta
Você está finalmente com seus vinte e poucos, mas se lembra como era há alguns bons anos? Mais precisamente, quando ainda era uma menina? Você tinha muitos sonhos. Era ambiciosa. Não tinha medo de deixar a sua imaginação fluir. Queria um mundo melhor. Queria ser melhor para o mundo e para você. Queria amar e queria um amor, sem medo. 

O que aconteceu? te ensinaram a sonhar mas te podaram quando um dia veio a mocidade, assim como fazem com todas as crianças. E então você foi ficando no caminho, tímida, com medo de sonhar, acumulando traumas, palavras amargas. Você foi acreditando nas mentiras que te contaram. foi desacreditando das pessoas, do mundo e nos dias mais desesperançosos, até do amor. Meu Deus! Até do amor!

Não era pra ser assim. Não é pra assim, garota.

Ainda com todas as dores (porque elas realmente vieram e virão), hoje eu te encorajo a resgatar aquela menina. Volte a sonhar. Volte a sorrir. Volte a viver, a reacreditar, e confiar. Chegará momentos que por confiar demais, irá sofrer, mas por favor, por favor, por favor… não deixe mais aquela menina que habita dentro de você ir embora mais uma vez. Você precisa dela pra não ter mais tanto medo de se lançar aos desafios que essa vida te apresenta. Precisa dela para alcançar sua almejada coragem e se lançar com graça à vida. Acredite em mim: ela tem muito a te ensinar.

13/01/2020

Um texto sobre insegurança

Ontem me deparei com este vídeo do canal Aondes, onde a Flora fala sobre a vergonha que sentia em gravar vídeos e como esse tipo de expressão lhe causava estranhamento com a sua própria imagem.
Confesso que muito me identifiquei porque sempre amei me expressar de diversas formas, seja pela escrita (não a toa que este blog existe), seja pelo canto, ou seja em vídeo (minha descoberta mais recente).

Todavia, percebi que sempre, de alguma forma, me podo. Sempre busco formas de me conter nas palavras pra esconder minhas vulnerabilidades (e infelizmente, perdendo a espontaneidade), de evitar aparecer em vídeo, pois tenho medo (ou seria vergonha?) não exatamente do que as outras pessoas vão dizer, mas sim, do que as pessoas que eu conheço pessoalmente podem vir a dizer. O que é um absurdo, considerando que como a moça disse no vídeo, estas mesmas pessoas observam dia a dia os nossos trejeitos, manias e a maneira com a qual escolhemos nos expressar, então por que temos tanto receio/insegurança se escrever, atuar, falar, tirar fotos, cantar, dançar, e infinitas outras coisas nos trazem tanta alegria? Por que evitamos partilhar aquilo que nos ensina e pode nos acrescentar mutuamente?

Hoje pela manhã me perguntei: onde será que eu poderia estar se eu não tivesse medo me expressar das formas que me cativam? nem falo só de experiências profissionais, mas mais do que isso falo das amizades que poderia encontrar pelo caminho, dos aprendizados, e de tantas coisas legais que nos acontecem quando guardamos o medo no bolso, acreditamos naquilo que fazemos, e seguimos em frente, nos desafiando, e exercitando cotidianamente as nossas paixões até que aquele estranhamento inicial se dissipe e olhemos para trás dando risadas e achando ridículo o fato de não colocar nossos talentos e Hobbies em prática a troco de nada, a não ser de um medo bobo do que alguns irão falar (e já parou pra pensar que sempre temos uma expectativa negativa a respeito?). Pensando bem, se colocarmos na balança, não vale a pena.

Mas e você, já passou por isso? me conta!