16 maio, 2020

Um pouco de leveza para os dias - bonitezas alheias #1


Sabe, uma coisa que não estou me esforçando pra ser nessa quarentena é produtiva. Claro, ando tentando estabelecer uma rotina, pequena que seja, só pra não deixar as horas rolarem tão soltas. Tomei essa decisão porque a faculdade e o curso de música deram um stand by, por isso esse é o momento que tirei pra dar uma desacelerada. Eu também decidi me afastar dos bombardeios de notícias que só estavam me deixando ansiosa, precisei de verdade, e até um pouco das redes sociais (principalmente, o instagram).

E aos poucos foram surgindo alguns conteúdos que estão deixando estes dias mais amenos na medida do possível, e me ajudando a pensar em outras coisas e conversar sobre outros assuntos (ou não pensar em nada mesmo, também ando vendo muito How I Met Your Mother, haha!). Achei que seria muito bom compartilhar aqui porque esse blog vem se tornando um cantinho especial pra mim, onde tenho colocado alguns registros de coisinhas que fazem o meu cotidiano melhor e tentado me expressar de uma forma mais genuína - para além do meu diário. Espero que essas flores possam embelezar o seu dia também:

Vídeos:






Músicas:






Podcast:



Posts em blogs:




Espero poder em breve fazer outros posts deste tipo. E se você quiser, deixa nos comentários o que tem deixado seus dias mais leves. Até mais, minha amiga e já aproveitando que é finzinho de sábado... tenha um ótimo domingo! 

15 maio, 2020

15 de maio


Respira
agradece, não só por agradecer
olhe em volta
se tem os seus, 
se tem um café quentinho
se tem um sorriso
ou alguém pra lembrar
ou alguém pra sentir saudade
ou algo pra te alegrar
pra "esperançar''.
Se nem sempre a notícia vêm alegre
confie que nada lhes falta
se hoje não consegue, mesmo se esforçando
encontrar risos pra gastar
não precisa forçar
não represa a angústia
espera um pouco
ora um pouco, não só por orar
abre o coração
fala de sinceridades
chore,
com os que choram
pelos que choram
depois, o silêncio vai vir
a espera também
e um dia, irão
e as lágrimas que antes molhavam o travesseiro
vão secar
serão esses os primeiros vislumbres
de dias melhores a chegar.

12 maio, 2020

(Nem tão) querido bloqueio literário...

Via Pinterest
Eu gosto de ler. Aprendi a gostar com as revistas da turma da Mônica (♡).  Porém, não sou uma leitora compulsiva, na verdade é um hábito que me esforço pra manter na minha vida. Ou, como diria Elizabeth Bennet: "não sou uma grande leitora, e são muitas coisas que me dão prazer. Não mereço nem tal louvor, nem tal censura."

O fato é que já faz algum tempo que um bloqueio literário se instaurou por aqui e parece persistir em ficar. Sabe quando você abre um, dois, três livros e a leitura simplesmente não flui? Pois é... e nem é porque os livros não são bons, muito pelo contrário.

Nessa quarentena eu não estou tendo aulas on-line, ou seja, tempo livre é o que mais tenho por agora, mas nem isso é o suficiente pra me prender a algum livro. Dos poucos que tenho disponíveis aqui nenhum me cativou no momento, e dos que já li... bem, não sou muito de releituras (quando faço é mais pra relembrar um trecho ou capítulo).

Ainda hoje, fiz um perfil no Skoob. Busquei na memória o máximo de livros que pude lembrar que já li e foi divertido o exercício. Alcancei algumas histórias que já nem me recordava, confirmei que amo romances... e mais uma vez, me deu uma vontade doida de me sentir cativada em alguma leitura e simplesmente passar horas a fio apaixonada por suas linhas. Há propósito, faz algum tempo que não me sinto assim, empolgada com um livro. Talvez seja apenas um momento, minha estação. E vou te contar, minha "angústia" não é pra alcançar uma meta de leitura (já as deixei pra trás). Quero ler apenas pela graça de ler.

Queria muito que este post fosse de dicas pra sair do bloqueio literário, mas é apenas um singelo desabafo, sabe? espero que não tenha soado tão reclamona,haha! Apenas senti que devia escrever sobre isso e aproveitar pra perguntar, a você que me lê, se já se sentiu assim? e o que fez pra sair desse nem tão querido bloqueio literário? Aiai...

11 maio, 2020

We'll make it through...

I know you’re scared, can’t see the light
Got to believe it’s gonna be alright
Lean on me and I’ll lean on you
And together, we’ll get through
We always do


Tenha uma boa semana! ;)

09 maio, 2020

Agora que tudo passou

Via Pinterest

Agora que tudo passou - a raiva, a dor, o choro - acho que consigo ver as coisas sem tantas "nuvens".

Eu nunca senti ódio de você, foi apenas tristeza por você ter partido, e eu ficado. Hoje consigo entender isso. Por ser humana, ainda não sei lidar perfeitamente com a efemeridade da vida. Lembra da música que a gente cantava juntos? eu realmente acreditei em algum momento que o nosso laço era pra sempre e como a vida sempre gosta de nos surpreender, um dia as coisas simplesmente ficaram assim, tão diferente.

Hoje eu aceito, mas lá atrás senti no peito um imenso luto. "Mas como é possível, se você ainda vive?". Eu não entendia.

É verdade que eu demorei bem mais tempo do que o que todo mundo dizia ser o necessário. Não foi por falta de dizer adeus, sabe? só que talvez, de fato, dentro do meu peito eu ainda não tinha dito adeus com entrega e verdade, não queria. Ainda não tinha te perdoado, se é que houve algo para perdoar. Tudo bem, levei o tempo que precisava, porque eu nunca fui tão desapegada nestas questões do amor - e até foi bom pra entender que eu também tinha um tempo (todo mundo tem, então simplesmente desconfie de pessoas que te dão atalhos pra lidar com a dor de uma desilusão), mas em algum momento, o novo tinha que chegar. E tenho sentido que ele têm chegado, a todo momento, a cada dia.

De coração, espero que ele também esteja vindo pra você, "... no vento, o cheiro de uma nova estação".

Enfim, hoje eu reconheço que um dia disse adeus pra você, mas o adeus também foi por mim. Foi melhor assim. Por querer seguir em frente e saber que algumas coisas realmente mudaram e eu não posso me prender ao passado. Mas quero guardar com carinho a nossa história, a nossa amizade, e a cantoria. Desisti de querer esquecer pessoas e principalmente, você. É impossível, e talvez se o fizesse, uma parte de mim também iria ser destruída. E esse não é o meu desejo.

O meu desejo, creio eu, já foi concedido por Deus: uma nova maneira de te enxergar. E até, de te amar. Para tal, foi preciso dizer adeus também aos meus velhos sentimentos, que em algum momento perderam as estribeiras (reconheço) e se desgastaram (tanto que teve hora que eu nem me reconheci), todavia, sem me desfazer da alegria e do encantamento que tive com você pelo tempo que foi preciso.

E hoje eu sei que isso me basta. Agora, que tudo passou.

***
P.s.: a parte em negrito é uma paráfrase do trecho de um livro que muito me marcou, O Refúgio Secreto de Corrie Ten Boom.

07 maio, 2020

Sobre fins de noite e filmes japoneses

Acho que foi esta postagem do Candy Deer que me impulsionou a começar a ver os filmes - lindinhos - do Studio Ghibli.

Criei todo um ritual, haha! espero todo mundo ir dormir, esquento leite (já falei por aqui que amo bebidas quentes) escolho um filme sem pesquisar muito, apenas sigo a minha intuição e voilá!

Até agora vi poucos e tenho gostado. São filmes leves, que seguem um fluxo mais natural (ao meu ver, bem de senso comum, tão característico da cultura japonesa), que dão uma sensação boa, sabe? não sou conhecedora das animações japonesas mas tem sido um prazer me abrir a essa experiência. A netflix disponibilizou vários, não sei se todos.

Os que vi até agora, foram:


   

Em português, Sussuros do Coração, até agora é o meu queridinho 




Em português, Memórias de Ontem, é um filme onde eu me identifiquei demais com a personagem principal; talvez porque como ela eu tenha um carinho pela vida no campo e toda a sua beleza e simplicidade, pelas divagações e lembranças, são tantos os motivos. Pra nós, que seguimos o fluxo da cidade pode ser estranho de início acompanhar o ritmo natural, calmo e sereno que ele nos oferece. Na verdade, Memórias de Ontem é um convite à desacelerar e olhar pra dentro. E também já tem um lugarzinho todo especial em mim...

Mas me conta, já tinha ouvido falar desse estúdio ou de algum desses filmes? se não, fica a dica. 

Até mais!